* Clube dos produtos gratuitos

Resultado de imagem para grátis
Clube dos produtos gratuitos

Mais duas lojas abrem suas portas no país com o formato “Clube do Grátis”: membros cadastrados retiram produtos gratuitamente apenas relatando sua experiência de uso

O consumidor nunca achou que sua opinião valesse tanto. Em troca dela, poderá ganhar produtos com valor de até R$ 100 em duas lojas que abrem as portas no Brasil nos próximos dias: o Clube Amostra Grátis e a Sample Central. Isso pode parecer alguma promoção, mas são dois empreendimentos sérios, que devem movimentar alguns milhões de reais e pôr em debate a importância da opinião dos consumidores.

As duas lojas trabalham com o conceito de tryvertising (junção dos termos try e advertising, que significam teste e propaganda), que é a familiarização do consumidor com o produto por meio do seu teste. A loja expositora cobra uma taxa dos fabricantes para divulgar e distribuir seus produtos aos membros cadastrados. Esses pagam uma taxa anual pequena, e podem retirar uma quantidade de produtos gratuitamente, desde que respondam a uma pesquisa sobre sua experiência de uso. As empresas , por sua vez, dão visibilidade a seus produtos, além de terem um relatório de como seus lançamentos devem ser recebidos no mercado.

“Com esse sistema, o consumidor tem uma experiência de uso plena, diferente do que ocorre com amostras grátis; e a empresa pode testar as expectativas do consumidor, e o feedback dele é garantido”, afirma Heloísa Omine, professora da pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Como lucrar com o grátis
Pode parecer contraditório que oferecer produtos de graça possa gerar algum lucro. Mas o que as duas lojas estão fazendo é criar um espaço de diálogo mais profundo entre o consumidor e a indústria: o primeiro tem uma experiência mais intensa com o produto; a segunda tem uma resposta mais completa de como seu produto foi recebido.

“O questionário de avaliação leva apenas três minutos para ser preenchido, tem de cinco a dez perguntas objetivas, e no máximo uma dissertativa. Limitamos seu tamanho em respeito ao associado”, afirma Luis Gaeta, 40, fundador do Clube Amostra Grátis. Junto com o colega Denis Shimada, 34, investiu R$ 2,5 milhões na abertura da loja, e deve gastar mais R$ 1,5 milhão até o fim do ano.

O Clube Amostra Grátis será inaugurado nesta terça-feira (11) na Rua Harmonia, 213 – Vila Madalena, São Paulo-SP, e já tem cerca de 90 produtos disponíveis. Para se cadastrar, o consumidor paga uma taxa anual de R$ 50, e poderá retirar até cinco produtos por mês. “Temos 8 mil sócios, e esperamos alcançar 20 mil até o fim de maio”, diz Gaeta. Enquanto não tiver respondido todos os questionários, o membro do clube não poderá retirar novos produtos.

A meta do empreendimento é faturar R$ 3 milhões em 2010. Para uma empresa expor um produto na loja e ter acesso à pesquisa feita com os consumidores ela deve pagar R$ 8 mil. Quanto mais produtos, menor será o preço unitário. Os sócios estão otimistas, e pretendem abrir mais duas lojas ainda neste ano, em São Paulo e em outra capital, como Rio de Janeiro ou Curitiba.

Sample central é baseada na matriz japonesa.
Não é à toa que as lojas grátis estão em áreas nobres da cidade. “Fizemos um estudo de geo-marketing para abrir a loja no lugar mais frequentado por nosso público-alvo, que vai das classes A2 à C1”, diz João Pedro Borges, sócio da Sample Central. Para as empresas parceiras do empreendimento, é vantagem que o produto entre em contato com consumidores de alta renda, antenados em novidades no mercado e que sejam referência dentro de seu grupo. “Se essa pessoa experimentar um produto e gostar, isso pode ter um efeito em cadeia e gerar visibilidade para outras pessoas”, afirma Heloísa.

A Sample Central será inaugurada no final de junho na Rua Augusta, 2078/2080 – Jardim Paulista, São Paulo-SP. O empreendimento é uma franquia da Sample Lab, loja criada no Japão em julho de 2007. Junto com o publicitário Celso Loducca, Borges trouxe para o país o modelo do grátis, e para abrir a loja se associou com o instituto de pesquisa Ibope; a agência de marketing Bullet; e os fundos independentes DGF Investimentos e Cales Investimentos. Para começar o negócio, foram investidos R$ 4 milhões, mas Borges espera recuperar esse valor em poucos meses e faturar R$ 7 milhões em um ano de empresa.

O modelo da Sample Central é parecido com o do Clube Amostra Grátis, mas tem algumas diferenças. A taxa de cadastramento é R$ 15; o consumidor cadastrado pode retirar cinco produtos por dia; mas sua visita tem de ser agendada com antecedência. “Queremos uma boa experiência de uso, por isso teremos grupos de no máximo 70 pessoas”, diz Borges. Em duas semanas de cadastramento, a Sample Central conseguiu quase 6 mil membros. A previsão é alcançar 40 mil em nove meses.

A Sample Central diferencia bem as vantagens da loja grátis quando divide seus serviços em dois. A empresa pode somente expor seus produtos nas prateleiras (de R$ 4.800 a R$ 5.400, dependendo do lugar), para apenas dar visibilidade a algum lançamento; ou pode, além da exposição, ter acesso ao resultado da pesquisa (R$ 7.500 adicionais), que permite saber como foi a aceitação daquele produto específico.

De acordo com Heloísa, ambos os empreendimentos devem prestar atenção ao que vão expor na loja. “Deve haver na loja produtos famosos, que chamem a atenção. De outro modo, dificilmente os consumidores vão querer experimentar o que estiver lá”, diz ela. Se a empresa disponibilizasse um iPad para teste, exemplifica, com certeza criaria uma expectativa grande, e isso seria uma propaganda para o negócio como um todo. “[O modelo de lojas grátis] é uma estratégia interessante, mas os empreendedores terão um trabalho árduo para expor os produtos de grandes empresas que sejam objetos de desejo do consumidor e, enfim, tornar seu estabelecimento mais interessante”, afirma.


Matéria publicada por International Sites Brasil (www.internationalsites.com.br), em parceria com a Gráfica Muito Mais Barata (graficamuitomaisbarata.blogspot.com.br) e o Portal Consultas Contábeis (consultascontabeis.blogspot.com.br). Editores: Flávio Del Puente (Vendas e Marketing), Clara Cont (Contabilidade e Finanças) e Mauro Marques (Gestão e Empreendedorismo).